Roteiro para 5 dias a viajar nos Alpes, de Genebra a Zermatt e Chamonix | Suiça e França

Roteiro para 5 dias a viajar nos Alpes, de Genebra a Zermatt e Chamonix | Suiça e França

Aproveitámos um fim de semana prologado em Dezembro para viajar nos Alpes no Inverno. Foi uma voltinha pequena, apenas 5 dias, mas foi muito bom.


Dia 0

Voámos do Porto para Genebra, num voo directo ao final da tarde, que nos permitiu chegar a Genebra ainda nessa noite. Aproveitámos para dar uma voltinha à noite e começar a sentir o cheirinho dos Alpes. Era o início de mais uma pequena grande experiência a viajar nos Alpes.

Dicas

  • Viajámos num voo da Easyjet entre o Porto e Genebra. O voo ida e volta custou-nos 65€/pessoa. Viajar nos Alpes não é barato, mas chegar lá é económico.
  • Quando chegar ao local de recolher as bagagens no aeroporto de Genebra, recolha um bilhete de comboio grátis para o comboio que o leva ao centro da cidade. Se não o fizer, o bilhete de viagem pode ser comprado nas máquinas da estação. Custa pouco mais de 3 francos suíços.
  • Comprámos o Switzerland Travel Pass no site online e recolhemo-lo no posto de turismo do aeroporto. Era um passe de 3 dias e só começou a contar no dia seguinte.
  • Alojámo-nos num hotel bem próximo da estação de comboio de Cornavin, no centro de Genebra, o Hotel Les Arcades. O hotel era simples mas bom. Custou cerca de 90€/noite.

Dia 1  

A nossa primeira visita na cidade de Genebra foi no CERN. O CERN é o Centro de Pesquisas Nucleares Europeu e onde se encontra o maior acelerador de partículas do mundo. É um lugar de físicos e para físicos. O Rui parecia uma criança e ria todo satisfeito. Nas fotografias, o seu sorriso ia de canto a canto.

A Carla parecia um “burro a olhar para um palácio”. Colisões de partículas, libertação de energia, penetração no mundo das partículas subatómicas!   O Rui vibrava! Olha as equações de Maxwell! Olha a tabela periódica de Mendeleiev! Eu olhava mas não percebia nada.  Passámos a manhã no CERN, em visita guiada e a ver exposições.

Pode ver este artigo para saber como preparar uma visita ao CERN. O Rui conta-lhe tudo.

Tivemos que correr para apanhar o comboio que nos levaria a Zermatt e daria continuidade à nossa aventura a viajar nos Alpes. Quando chegámos a Zermatt já nevava e o termómetro marcava -7ºC. Encontrámos a Swatch (a Carla é uma coleccionadora aficionada) e entrámos. A rapariga que lá trabalha era portuguesa e ofereceu-nos uns convites, em forma de cenoura, para o lançamento do relógio especial de Natal. Aceitámos e marcámos encontro o dia seguinte. 

Passeámos ainda um bocadinho na vila e depois seguimos para o nosso hotel, o Hotel Le Petit Charme Inn. Improvisámos um jantar maravilhoso no quarto, com salmão da Noruega, queijos franceses, vinhos Bordeux e chocolates suíços. Amanhã vamos explorar os Alpes. A nossa viajar nos Alpes prometia!

Dicas

  • Comprámos o Switzerland Travel Card antes de ir para a Suíça. Comprámos o passe de 3 dias. Começou a contar neste dia e permitiu-nos viajar no metro e tram de Genebra sem pagar, assim como o comboio entre Genebra e Zermatt. O passe custou 216 CHF/pessoa.
  • Alojámo-nos num hotel pequenino mas muito giro, Hotel Le Petit Charme Inn, numa casa tradicional no centro da aldeia de Zermatt. O hotel fica a 5o m da igreja da aldeia e não há que subir pela montanha a cima (tal como a maioria dos alojamentos). Custou-nos cerca de 125€/noite, o quarto duplo com pequeno-almoço magnífico (levávamos sempre comida para o almoço do hotel).
  • Fizemos compras no supermercado COOP, bem próximo da estação, que está aberto até às 20h. É o melhor supermercado da cidade, quer em termos de qualidade como de escolha. Optámos por comprar queijos e tostas, um bom vinho e fazer um jantar de tapas no quarto. O rapaz do hotel emprestou-nos dois copos de pé alto para o vinho.


Dia 2 

THE WINTER IS COMING!

-26ºC não é para qualquer um e para nós também não foi fácil. Hoje Zermatt recebeu-nos coberta de neve. O nosso dia foi passado no Matterhorn, provavelmente a mais bela montanha do mundo. O problema é que a temperatura lá em cima era de -26ºC. Tirar fotografias era tão penoso que quase congelávamos para o fazer. Viajar nos Alpes no Inverno é isto!

Quando chegámos ao Matterhorn Glacier Paradise o frio era tanto, acrescido do vento que nos fustigava a cara, que mal nos aguentámos um minuto no miradouro. Infelizmente, a montanha apenas se exibiu durante alguns minutos enquanto subíamos no teleférico.

As panorâmicas dos miradouros são brutais mas a neve e as densas nuvens não deixaram ver muito.

Visitámos, no entanto, o Palácio Glaciar, uma exposição de esculturas de gelo, esculpidas dentro de um glaciar.

Só para se ter noção do frio que estava no exterior, quando entrámos dentro do glaciar a máquina fotográfica embaciou! Sim, embaciou!!! Dá para acreditar? Incrível!

Depois de explorar as diferentes paragens do teleférico Matterhorn Express, descemos de volta a Zermatt, onde almoçámos (tarde mas bem) num restaurante português, o Calypso Sportbar, onde comemos umas bifanas fantásticas, rodeados de emigrantes portugueses.

No resto da tarde, explorámos a bela aldeia de Zermatt, tranquila e ao mesmo tempo cheia de visitantes que rumam às pistas de ski.

As temperaturas em Zermatt rondavam agora os -9ºC mas já começávamos a tirar os casacos! No dia seguinte voltaríamos à montanha. 

Dicas

  • Usámos o Switzerland Travel Pass para comprar os bilhetes para o Matterhorn Glacier Express. Tivemos 50% de desconto com o passe. Ao contrário de 87 CHF, pagámos 43.5 CHF. Pode comprar os bilhetes neste site.
  • Os restaurantes em Zermatt são bastante caros. Como há ali uma comunidade emigrante portuguesa enorme, há muitos portugueses em todo o lado. Um deles recomendou-nos o único restaurante português da cidade para almoçar. Com boa comida (alguma típica portuguesa) e preços que podemos pagar, optámos pela hospitalidade portuguesa.
  • Dizem que a comunidade portuguesa em Zermatt corresponde a 50% da população da aldeia. Sendo assim, tenha cuidado com as observações que faz nas ruas. Toda a gente o vai entender. 😀

Dia 3 

Há dias em que parece que vivemos dentro de um cartão postal. Este foi um desses dias. Quando acordámos de manhã nevava abundantemente em Zermatt e pensámos “Não vamos ver nada!”.

Mas, a caminho do Gornergrat, o céu foi abrindo e as nuvens deram lugar a céu azul e o sol brilhou para nos abrilhantar o último dia que tínhamos no Matterhorn. Foi um dia perfeito a viajar nos Alpes.

Não desperdiçámos esta oportunidade e parámos em todas as estações e apeadeiros da linha mais alta da Europa. Aproveitámos cada minuto como se não houvesse fim.

Fizemos trilhos invernais e prometemos que voltaríamos aquela que é, provavelmente, a mais bela paisagem de Inverno do mundo. Este foi, sem sombra de dúvida, o ponto alto da nossa aventura a viajar nos Alpes.

Para terminar o dia, duas linhas de comboio magníficas. Um pouco do Glacier Express, na Suiça, e o Monte Branco Express, a linha que nos levou até Chamonix, no sopé do Monte Branco.

Ainda tivemos tempo para uma paragem rápida em Martigny para visitar o Museu dos Cães São Bernardo e a Carla se deliciar a brincar com eles, como crianças! 

Já era noite quando chegámos a Chamonix. Para comemorar um dia em cheio, experimentámos raclette, uma delicatesse francesa, típica dos Alpes. Ainda que por poucos dias, esta aventura na viajar nos Alpes foi cheia de postais magníficos e memórias incríveis. Para o ano, voltaremos para esquiar. Está prometido!

Dicas

  • Usámos o Switzerland Travel Pass para comprar os bilhetes para o comboio para Gornergrat. Tivemos 50% de desconto com o passe. Ao contrário de 76  CHF, pagámos 38 CHF.
  • Usámos o passe também para a viagem entre Zermatt e Martigny, estava incluída no passe.
  • A visita no Museu dos Cães de Martigny foi gratuita com o Switzerland Pass.
  • O passe também é válido na linha de comboio entre Martigny e Chamonix, ainda que parte da linha, entre Vallorcine e Chamonix, seja operada pela França. Basta mostrar o passe suíço. Não há problema.
  • O nosso passe de 3 dias compensou bastante. O passe e os teleféricos no Matterhorn ficaram por 297.5 CHF. Sem passe teríamos gasto 390 CHF.
  • Nós não ficamos uma noite em Martigny mas devíamos. A cidade tem imensa coisa para conhecer. Há ali importantes ruínas romanas e uma das melhores galerias de arte da Suiça com quatros de Van Gogh e outros pintores de renome.
  • Se decidir alojar-se em Martigny, o Hotel Forclaz-Touring e Hôtel de la Poste, cujos preços rondam os 70€ – 80€/noite, são as melhores opções. São bem centrais, próximos da praça principal da cidade e da estação de comboio.
  • Em Chamonix, comemos no Restaurante Brasserie L’M . Era muito muito bom! A raclette era deliciosa.


Dia 4 🇫🇷 

Começámos o dia com um belo pequeno-almoço no café 1908. Croissant caseiro. Que maravilha! Depois sentimos um pouco frustrados com os nossos planos de viajar nos Alpes.

Plano A: tínhamos pensado ir fazer o teleférico de Aguille du Midi e estava fechado.

Plano B: Teleférico de Brevent, também fechado.

Plano C: Parapente no vale de Chamonic, também não faziam porque sem teleféricos não dava para subir a montanha.

Plano D: Tram do Monte Branco, também fechado!

Plano E: Mer de la Glace, o maior glaciar de França, aberto!

E lá fomos nós entusiasmados conhecer o maior glaciar francês e fazer a linha de comboio do Mer de la Glace. A manhã foi muito boa, o glaciar é fantástico e o museu sobre o degelo glaciar e glaciologia também é magnífico.

As vistas dos miradouros são verdadeiramente avassaladoras. Há ali um museu dos minerais de quartzo, onde se podem ver algumas amostras. No Verão, é possível visitar a gruta no gelo, no interior do glaciar. No Inverno, a gruta e o teleférico de acesso à gruta estão encerrados.

Como ficámos com parte do dia livre, resolvemos visitar a vila de Chamonix nessa tarde.

Aproveitámos o maravilhoso dia de sol também para fazer a linha de comboio do Monte Branco Express até St. Gervais les Bans. Aproveitámos para fazer hoje parte da linha e, no dia seguinte, a outra metade.


Pode ver as dicas para preparar esta viagem de comboio neste artigo.


Dicas

  • Viajar nos Alpes no início de Dezembro para Chamonix não é uma boa altura. É época baixa em Chamonix e muita coisa está fechada. Os teleféricos só abrem na segunda metade do mês.
  • O comboio Mer de la Glace sai da estação de . É aí que se compram os bilhetes. Há comboios de ida para o glaciar a todas as horas e regresso a cada 30 minutos. A viagem custa 26€/pessoa.
  • Veja o nosso artigo sobre o Monte Branco Express para poder fazer essa linha de comboio de forma gratuita.
  • Em Chamonix, nós alojámo-nos num apartamento fantástico perto de Aguille du Midi que marcámos através do Airbnb. Era magnífico e a Julia, a nossa anfitriã, arranjou-nos um passe grátis para os transportes públicos no Vale de Chamonix. Se se alojar, como nós, no Airbnb, há que ter sorte com o anfitrião.


Dia 5 

O ar frio do Inverno nos Alpes ainda está a começar. Para nós -9ºC é frio mas aqui, para a população local, o Inverno ainda não chegou. Aliás, as pistas de ski ainda não abriram e os horários de Inverno só entram em vigor a partir de 16 de Dezembro. Até lá tudo ainda anda a meio gás. Não é Verão, nem é Inverno.

Os Alpes são o cartão postal que todos imaginamos, branco, límpido, intenso e frio. Maravilhoso, mas ao mesmo tempo duro. O frio está sempre presente, assim como as sucessivas camadas de roupa.

Há neve e gelo por todo o lado, onde os nossos pés escorregam. As luvas são um estorvo, especialmente para tirar fotografias, mas se as tirarmos, os dedos rapidamente congelam. É os Alpes, ainda que para os locais, o Inverno não tenha chegado.

Queríamos muito aproveitar os trilhos de montanha, mas com os teleféricos fechados, não foi possível. Assim, decidimos aventurar-nos nos trilhos do vale, explorando algumas das aldeias típicas da região da parte da manhã.

A viagem de comboio, a bordo do Mont Blanc Express é mais cómoda, mas a sensação de percorrer a pé os caminhos das aldeias compensa o frio e as escorregadelas no gelo. Viajar nos Alpes também é isto.

Da parte da tarde rumámos a Genebra, onde terminaria a nossa aventura a viajar nos Alpes, mas ainda tivemos tempo de visitar a maior exposição do mundo da Swatch (só para fãs como a Carla, que tem quase 400 relógios e que aproveitou para engrossar ainda mais a sua colecção) e dar uma volta pelo lago e pela Cidade Velha.

Terminámos o dia com um pôr-do-sol magnífico no lago Genebra. A nossa aventura a viajar nos Alpes chegava assim ao fim. 

Dicas

  • Apanhámos um autocarro entre Chamonix e o centro de Genebra. A viagem custa 19€/pessoa, se comprada online, ou 22€/pessoa, se comprada no Teminal Chamonix Sul. A empresa que opera esse trajacto é a OUIBUS. Pode ficar no aeroporto (demora 1h30) ou no centro da cidade (2h). É a melhor opção para chegar e sair de Chamonix.
  • Alojámo-nos num hotel bem próximo da estação de comboio de Cornavin, no centro de Genebra, o Hotel Les Arcades. O hotel era simples mas bom. Custou cerca de 90€/noite.

Carla Mota

Geógrafa com uma enorme paixão pelas viagens e pelo mundo. Desde muito cedo que as viagens de exploração fazem parte da sua vida. A busca do conhecimento do mundo leva-a em direcção a culturas perdidas e ameaçadas, tentando percebe-las. Hoje é também líder de viagens de aventura na Nomad.

More Posts - Facebook - Google Plus - Flickr - YouTube

PROGRAME A SUA VIAGEM

  Faça as suas reservas através das parcerias do nosso blogue. Você NÃO PAGA MAIS, nós ganhamos uma pequena comissão. Assim conseguimos manter o blogue com opiniões isentas.

      Reserve o hotel no Booking.com e encontre as melhores promoções. Reserve e cancele sempre que necessitar.

Alugue carro usando o Rent a Car, comparando e escolhendo o melhor preço antes de viajar. Tudo na comodidade de sua casa.

      Faça seguro de viagem na World Nomads ao menor preço do mercado.

     Usamos os guias de viagem da Lonely Planet para preparar as nossas viagens. Se faz o mesmo, pode comprá-los online. Sai mais barato e os portes são grátis a partir dos 35€.

24 Comentários

  1. Estou planejando ir para a Suíça e post veio no momento certo! Só não vou passar esse frio todo rsrs O plano é ir em julho. Anotei todas as dicas e com certeza vão ser muito úteis! Obrigada!!!!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Vai ser uma viagem fenomenal, aposto. No Verão é óptimo para fazer trilhos lindos.

  2. Aninha Lima diz: Responder

    Um frio de doer compensado por vistas maravilhosas!!! Que bom que conseguiram dias ensolarados e que pena que encontraram alguns teleféricos fechados… mas a visita ao Glaciar deve ter valido a pena, né?
    Gostei muito do roteiro de vocês acho que eu faria muito parecido! anotado! Muito obrigada

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Aninha. 😀

  3. Patrícia Amarante diz: Responder

    Impossível não sonhar com essa viagem para os Alpes… Vendo suas fotos e roteiros fiquei ainda mais vontade de conhecer a região. Apesar do frio, o que pra mim é sempre tenso…

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Obrigado

  4. Adorei as dicas, principalmente a de não falar qualquer coisa em Português, especialidade do meu marido que já nos colocou em várias situações engraçadas. Quero muito ir à Suíça, mas a fama de país caro assusta.

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Obrigado

  5. Ainda não conheço a Suíça. Mas é cada post sensacional que tenho visto ultimamente que nossa, preciso ir urgentemente!

    E já vou correndo ver o post sobre o CERN. Taí um lugar que com certeza vou incluir nesse roteiro! <3

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Obrigado

  6. O calor no Rio é tanto que eu já tô desejando esta neve!! Adorei as fotos e as dicas completíssimas!

    1. Rui Pinto diz: Responder

      eheheheh 😀

  7. o Matterhorn foi uma das coisas mais lindas que eu ja vi, eh absolutamente encantador!! quero ir de novo no inverno, nos fomos no verão!

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Vale a pena, Angela. No Inverno acho que é ainda mais maravilhoso.

  8. Que friiiiiio! Rs. Roteiro completo com lindos registros. Os Alpes me encantam e adorei saber que tem muita coisa para visitar, de esculturas no gelo até museu de cães. Bem divertido.

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Obrigado

  9. Olá… paisagens de tirar o fôlego hein?! Acho até que compensa o frio intenso, não?! Eu passei 15 dias na Suíça, começando e terminando por Genebra (cidade que me deixou completamente encantada!), assim como vocês. Entretanto não visitei os lugares por onde vocês passaram. Fiquei por outras cidades. Quem sabe um dia eu volte para ver tudo isso ao vivo?! :) bjus

    1. Rui Pinto diz: Responder

      A Suiça é maravilhosa mesmo. Pena ser tão cara. 😉

  10. Keul Fortes diz: Responder

    Que sonho de roteiro! Adorei todas as dicas. Deve ter sido uma delícia de viagem! Eu sou apaixonada por viagens nesse estilo. Favoritei por aqui! Parabéns pelo post.

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Obrigado, Keul.

  11. Amilton diz: Responder

    Que delícia de passeio, viajei com suas palavras e fotos. Adoro inverno e adoraria um dia conhecer essa região, anotei aqui todas as suas dicas, obrigado por compartilhar! ABs

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Obrigado, Amilton.

  12. Sílvio Horta diz: Responder

    Que belas férias! Excelente artigo para quem quer visitar os Alpes. Fiquei com água na boca!

    1. Carla Mota diz: Responder

      É maravilhoso, Sílvio, valeu bem a pena.

Deixe uma resposta