Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

A Ribeira dos Amiais é um dos locais mais extraordinários de Portugal e permanece desconhecido para a maioria dos portugueses. Há um percurso pedestre, que começa nos Olhos d’Água do Alviela, e que permite explorar toda a geomorfologia típica dos calcários associada às linhas de água. É um trajecto bastante curto e que vale a pena ser percorrido.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perceber a Ribeira dos Amiais

A Ribeira dos Amiais é um exemplo magnífico da morfologia cársica em Portugal. No Carso, o planalto calcário, a existência de rios à superfície é muito rara. Tal razão prende-se com o facto dos calcários apresentarem várias diaclases, fracturas, que facilitam a entrada de água no subsolo.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Estas diaclases, que podem ser de origem tectónica, são áreas privilegiadas para a infiltração de águas da chuva. Esta água contêm dióxido de carbono que,  em contacto com o carbonato de cálcio da rocha, vai dissolver os calcários e vai permitindo a infiltração da água no seu interior. É caso para dizer

água mole em pedra dura, tanto bate até que fura!

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

O resultado da dissolução dos calcários é uma morfologia muito característica, quase sem rios superficiais, onde a circulação da água se faz de forma subterrânea, dando origem a um sistema complexo de grutas e algares (grutas verticais).

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

A calcite, mineral de carbonato de cálcio constituinte do calcário, à medida que vai sendo dissolvida pelo dióxido de carbono presente na água vai provocando o alargamento e aprofundamento das diaclases. O relevo calcário é especialmente rico em formas subterrâneas, associadas à infiltração da água no interior da rocha.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

As linhas de água encontram com facilidade lugares onde se infiltram nos calcários, desaparecendo da superfície. São as chamadas Perdas ou Sumidouros, o rio some, literalmente, da superfície da terra.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Percurso da ribeira dos Amiais

A Perda da ribeira dos Amiais corresponde ao local onde a ribeira, que até aí circula à superfície, desaparece e passa a escorrer de forma subterrânea, no interior do calcário. A Perda da ribeira dos Amiais é, provavelmente, a mais bela de Portugal. É uma cavidade fantástica e que tem uma gruta associada. Parece saída do cenário de filme Prometheus.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

É possível entrar nos primeiros metros da cavidade e acompanhar visualmente o percurso da ribeira à medida que desaparece no interior dos calcários.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Há que ter muito cuidado porque a rocha é muito escorregadia. Tenha muita precaução.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

A água da ribeira dos Amiais vai escorrer através de uma cavidade com mais de 250 metros de comprimento de forma subterrânea e, embora não seja possível acompanhar o seu trajecto, é possível depois visitar o local onde ela volta a aparecer à superfície.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Se regressar pelo mesmo percurso que seguiu para alcançar a Perda da ribeira dos Amiais, vai encontrar uma placa do percurso que o leva até ao Canhão Fluvial. Se descer por esse trilho, vai dar à ressurgência da ribeira dos Amiais. Aí, a mesma água que viu desaparecer na Perda, volta a aparecer. É um fenómeno extraordinário. Esta ressurgência é também uma cavidade muito bonita.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Depois desta ressurgência, a ribeira dos Amiais dá origem a um canhão fluvial magnífico que se estende até aos Olhos d’Água do Alviela. Quando existe pouca água pode percorrer o canhão a pé, ainda que alegadamente só os primeiros metros.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

O canhão resulta do abatimento de uma cavidade onde outrora a ribeira já circulou de forma subterrânea.  Percorrer e explorar o trilho da Ribeira dos Amiais é um dos mais belos passeios que pode fazer em Portugal. São apenas 2 km de percurso, sinalizado, e que muito lhe podem ensinar sobre a geomorfologia de Portugal.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal


Veja este artigo para conhecer mais locais para visitar no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros


Onde dormir nos Olhos d’Água do Alviela?

A cidade de Porto de Mós ou Alcanena são, provavelmente os melhores locais para se alojar e daí partir para explorar os lugares de maior interesse. No entanto. Há outros locais que podem ser boas opções, nomeadamente, AlcobaçaRio Maior ou até Santarém.

  • Em Alcanena, tem o hotel Eurosoluma opção boa na cidade.
  • Em Porto de Mós há belos alojamentos rurais. Há uma casa construída num moinho ou outras habitações locais com piscina e óptimas para o Verão ou passagem de ano.
  • Na última vez que estivemos no PNSAC ficámos em Leiria, no Hotel São Luís. Foi uma boa opção, especialmente para quem tem carro, porque o hotel é perto de muitos lugares de interesse e tem uma boa relação qualidade/preço. O pequeno almoço era fantástico. Viajei com amigos e num quarto triplo pagámos 25€/pessoa. Mas na cidade há outras belas opções como o Hotel Casa da Nora ou o Aparthotel Beira Litoralum apartamento com uma vista fantástica sobre o castelo de Leiria. 
  • Em Rio Maior há um moinho de vento convertido em hotel. Nunca lá ficamos mas pareceu-nos muito giro. Gostávamos de experimentar na próxima visita à região.
  • Se procura hostels, há um em Santarém e outro em Alvados.

Para além das cidades, há vários alojamentos rurais nas Serras de Aire e Candeeiros que podem ser boas escolhas. Procure no booking.com porque há alojamentos maravilhosos em Alcaria e Alvados onde poderá desfrutar do espaço rural.

Perda e ressurgência da ribeira dos Amiais, um segredo escondido no PNSAC | Portugal

Carla Mota

Geógrafa com uma enorme paixão pelas viagens e pelo mundo. Desde muito cedo que as viagens de exploração fazem parte da sua vida. A busca do conhecimento do mundo leva-a em direcção a culturas perdidas e ameaçadas, tentando percebe-las. Hoje é também líder de viagens de aventura na Nomad.

More Posts - Facebook - Google Plus - Flickr - YouTube

.

PROGRAME A SUA VIAGEM

  Faça as suas reservas através das parcerias do nosso blogue. Você NÃO PAGA MAIS, nós ganhamos uma pequena comissão. Assim conseguimos manter o blogue com opiniões isentas.

      Reserve o hotel no Booking.com e encontre as melhores promoções. Reserve e cancele sempre que necessitar.

 Reserve os seus voos com a Skyscanner. Garanta os melhores preços.

Alugue carro usando o Rent a Car, comparando e escolhendo o melhor preço antes de viajar. Tudo na comodidade de sua casa.

      Faça seguro de viagem na World Nomads ao menor preço do mercado.

     Usamos os guias de viagem da Lonely Planet para preparar as nossas viagens. Se faz o mesmo, pode comprá-los online. Sai mais barato e os portes são grátis a partir dos 35€.

24 Comentários

  1. António diz: Responder

    Parabéns pelo artigo e pelas fotos, Carla! Em breve, irei visitar o local.
    Um abraço,

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada

  2. Fernando Lopes diz: Responder

    Boa tarde, quem queira visitar a nascente do alviela (Olhos de Água), envio as coordenadas do local “38.7296437, -9.1448779” to “Olhos D’Água do Alviela, Louriceira”, podem ter sempre como referencia Amiais de Baixo a 2km do local.

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada pela partilha, Fernando. 😀

  3. Carlos Esteves diz: Responder

    Boa Noite, gostaria de saber se me pode facultar as coordenadas gps ou algum ponto de referencia, visto que no google maps quando meto “Ribeira dos Amiais” só me aparece um posto de combustível. Obrigado pela atenção

    1. Joaquim Beja diz: Responder

      Conheço, desde há mais de cinquenta anos, este interessante espaço. No entanto, pelo título da peça, tive dificuldade em identificar …

      1. Carla Mota diz: Responder

        Se calhar conhece por Olhos de Água do Alviela, será?

    2. Carla Mota diz: Responder

      Carlos, o percurso começa no Centro de Ciência Viva do Alviela, se colocar isso no google maps aparece-lhe. Bom percurso.

  4. Alexandra Carolino diz: Responder

    Pois essa zona é mais espectacular, eu sei.
    …Mas a minha zona também tem os seus encantos geológicos.
    aliás”… não há biodiversidade sem antes ter havido geodiversidade…”
    Viva a geologia

    1. Carla Mota diz: Responder

      E que zona é a sua Alexandra?

  5. Fantástico! Desconhecia completamente!

    1. Rui Pinto diz: Responder

      Obrigada. É mesmo maravilhoso. Vamos divulgá-lo brevemente na Sapo.

  6. Adorei ler a respeito e conhecer mais sobre este assunto. Ótimo texto e belas fotografias.

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada.

  7. Que bacana….uma viagem pela natureza tb está presente em Portugal. Adorei saber e da forma como relatou. Parabéns.

    1. Carla Mota diz: Responder

      Portugal tem parques e trilhos magníficos. Tem imensa coisa para descobrir.

  8. Nossa, que lugar encantador. Nunca tinha ouvido falar. As fotos estão muito bonitas e o post, bastante informativo!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada

  9. Nunca imaginamos esse roteiro num país como Portugal. Fiquei surpresa com essa opção de ecoturismo e certamente adoraríamos fazer. Obrigada pela dica bem diferente,

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Fabíola. 😀

  10. Joaquim Silva diz: Responder

    Muito boa descrição. Parabéns.

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Joaquim.

  11. Uau!!! Adorei as dicas e informações. O lugar parece ser realmente muito bonito. As fotos ficaram maravilhosas! Parabéns, Bjs

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada. 😀

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.