• China
  • Visitar o MOSTEIRO SUSPENSO DE DATONG, uma maravilha do mundo | China

    Visitar o MOSTEIRO SUSPENSO DE DATONG, uma maravilha do mundo | China

    O Mosteiro de Xuankong Si, vulgarmente conhecido por mosteiro suspenso, encontra-se situado num dos cinco montes taoístas chineses, o Heng Shan. Aparentemente, o mosteiro encontra-se suspenso por pilares de madeira e mantém-se assim agarrado na vertente. No entanto, nem tudo é o que parece. Em vez de serem os pilares a susterem o mosteiro, é o […]

  • China
  • Visitar as magníficas GRUTAS DE YUNGANG desde Datong (a 5h de Pequim) | China

    Visitar as magníficas GRUTAS DE YUNGANG desde Datong (a 5h de Pequim) | China

    Uma das manifestações mais espectaculares do budismo em solo chinês são as grutas talhadas em paredes de desfiladeiros, com influência indiana, particularmente das grutas de Ajanta e Ellora. Visitámos 2 conjuntos de grutas quando estivemos na Índia e umas foram as Grutas de Yungang. As Grutas de Yungang situam-se perto de Datong (antiga capital imperial), […]

  • China
  • Visitar o magnífico e deslumbrante TEMPLO DO CÉU em Pequim | China

    Visitar o magnífico e deslumbrante TEMPLO DO CÉU em Pequim | China

    Um dos templos que visitámos em Pequim foi o templo do Céu, na realidade um enorme complexo de templos enquadrado num belo parque verde. Era neste local que o imperador oferecia sacrifícios e orava aos céus e aos seus antepassados em determinadas datas (por exemplo, nos solstícios), intercedendo pelo seu povo, pedindo benesses aos deuses e […]

  • China
  • Visitar o TEMPLO DOS LAMAS em Pequim e o budismo chinês | China

    Visitar o TEMPLO DOS LAMAS em Pequim e conhecer o budismo chinês | China

    Os dois principais expoentes arquitectónicos da capital chinesa relacionadas com a prática da religião budista/confucionista são 2 conjuntos de templos que nós visitámos aquando da nossa estadia em Pequim, o Templo dos Lamas e o Templo do Céu. O templo dos lamas, convertido em 1744 num complexo budista tibetano após ter servido como residência de […]

  • China
  • Visitar TONGREN | REPKONG (AMDO) – No coração da cultura tibetana, a chuva cai mas não nos pára | China

    Visitar TONGREN | REPKONG (AMDO) - No coração da cultura tibetana, a chuva cai mas não nos pára | China

    Xiahé foi daqueles locais em que sentimos que devíamos ter ficado mais tempo mas, infelizmente, não era possível. A nossa Rota da Seda estava a chegar ao fim e o nosso périplo pelos centros do budismo tibetano tinha de continuar. Assim, levantamo-nos à hora da primeira oração do dia para os monges do mosteiro, mas […]

  • China
  • O MOSTEIRO DE LABRANG (AMDO) Budismo tibetano em Xiahé | China

    Visitar o MOSTEIRO DE LABRANG (AMDO) - Uma peregrinação pelo budismo tibetano em Xiahé | China

    O Budismo Tibetano tem 6 escolas diferentes, fundadas por personalidades diferentes e com teorias, rituais e práticas também diferentes. Uma dessas escolas, Gelugpa (também conhecida como a escola do Chapéu Amarelo), foi fundada por Tsongkhapa (1357-1419), um erudito e perito em técnicas de meditação que reformou uma escola já existente (Kadampa). Este nasceu na província […]

  • China
  • Visitar JIAYUGUAN – O fim dos “bárbaros” da Ásia Central e o início da China Imperial | China

    Visitar JIAYUGUAN - O fim dos "bárbaros" da Ásia Central e o início da China Imperial | China

    Era final de tarde quando apanhamos um comboio em Dunhuang e atravessamos, durante cinco horas, o deserto pedregoso a caminho de Jiayuguan, uma vila que marca o início da China Imperial. Daqui para a frente entraremos em território de imperadores e, como tal, o território está protegido. Começa aqui a Grande Muralha da China e […]

  • China
  • Visitar as GRUTAS MOGAO – À descoberta das do maior segredo budista da China | China

    Visitar as GRUTAS MOGAO - À descoberta das do maior segredo budista da China | China

    As grutas de Mogao são um dos testemunhos mais espectaculares da importância histórica do budismo na Rota da Seda e na China. A sua construção estendeu-se entre os séculos IV e XI d.C., graças aos donativos de mercadores e governantes, que desejavam associar o seu nome à veneração das divindades budistas, e ao trabalho incansável […]