Diga-nos que tipo de viajante é, nós dizemos-lhe para onde deve viajar na Índia

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

A Índia é um país enorme e, nunca a conseguirá conhecer em apenas uma viagem, pelo que, de acordo com a sua experiência, tempo disponível e perfil, deve estar atento às zonas para onde vai viajar na Índia. Sendo assim, convém saber exactamente aquilo que pretende e que expectativas tem em relação ao país para definir para que região vai viajar. Aqui ficam as nossas sugestões.

Índia para principiantes

Se é a primeira vez que vai viajar na Índia não comece por áreas onde viajar é mais difícil e onde o choque cultural é muito grande. Viajar na Índia não é fácil mas “há muitas Índias na Índia”. Há lugares muito mais fáceis, onde não há tanto lixo, mendigos e pobreza, e a população é mais acessível. A questão da alimentação também é importante porque faz parte do choque cultural. Geralmente, nestes locais, é fácil encontrar comida “não indiana”, ou pelo menos com um toque mais ocidental. Há lugares onde quase não se vêem vacas na rua, pelo que os cheiros são bastante menores e, como tal, mais fácil de viajar. Se é “marinheiro de primeira viagem” estas são as zonas da índia por onde deve começar:

  • QUERALA – Provavelmente o estado mais limpo e fácil de viajar na Índia. Não há vacas, as castas são pouco importantes, a população é instruída e quase todos falam bem inglês, há imensas estruturas de apoio aos turistas, etc. Viajar em Querala, à semelhança de outros lugares do sul da Índia, é bastante mais fácil do que no resto do país. Não perca um passeio de barco nas águas paradas de Querala.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • GOA – A região de Goa é um mundo à parte na Índia. Goa também tem poucas vacas, pelo menos quando comparamos com as outras regiões do país. Goa é, a par com Querala, um dos estados mais limpos da Índia. A estação de comboio de Goa é tão limpa que até faz inveja a alguns hotéis. Há comida ocidental em quase todas as localidades de praia, o que facilita em muito, as viagens e a sua boa disposição ao longo do dia.

Goa

  • HAMPI – A região de Hampi é um verdadeiro paraíso de cultura indiana, num ambiente tranquilo, relaxado, sem grande pressão demográfica e pobreza. Há boas infraestrururas para acolher os turistas, como o hotel-palácio onde ficámos, mas também hotéis mais baratos bem no centro do complexo de ruínas. É um excelente local para visitar na primeira vez que for viajar na Índia.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

Índia para sonhadores e românticos

Se quer viajar na Índia em busca de lugares românticos então deve procurar “outras Índias”. Querala também é uma boa opção, especialmente dormir num barco-casa nas águas paradas mas há muito mais opções.

  • RAJASTÃO – O Rajatão é a região mais romântica da Índia, com templos, fortalezas, palácios, casas senhoriais, lagos e desertos, onde se podem fazer belos passeios. No entanto, viajar no Rajastão tem vários desafios, especialmente porque fora das grandes cidades há pobreza e muitos mendigos. As vacas são omnipresentes e encontrar comida com toque ocidental, fora das grandes cidades, é difícil.  As grandes cidades como Jaipur, Udaipur ou Jodhpur têm estruturas bem montadas para o turismo, mas em localidades mais pequenas, como Bundi, Bikaner, Pushkar ou Jaisalmer, o desafio é um bocadinho maior. Isso não é necessariamente pior, é apenas mais desafiante, mas muito compensador. O Rajastão é das zonas mais belas para viajar na Índia.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • ILHAS ANDAMAN – Viajar para as ilhas Andaman é viajar para uma “outra Índia”. As ilhas Andaman têm uma densidade populacional muito menor do que o resto da Índia, pelo que logo à partida o choque cultural é menor. Para quem procura praias paradisíacas, quase desertas, e um lugar para descansar com comida ocidental, paredes meias com a cultura indiana (ainda que sem vacas), este é o local ideal. As ilhas Andaman são uma reserva natural e por isso há regras de entrada. É preciso conhecê-las por isso já aqui escrevemos sobre isso. As Andaman têm várias ilhas, muito diferentes uma das outras, por isso conheça as melhores praias e prepare a sua viagem com os artigos que criámos.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • AGRA e KHAJURAHO – Os viajantes românticos não podem deixar de visitar a Taj Mahal, em Agra, e logo ali ao lado (na realidade algumas centenas de quilómetros), Khajuraho. O Taj Mahal dispensa apresentações, já que é um hino ao amor. Se quiserem saber mais sobre a sua história podem ler o artigo que escrevemos para a Sapo Viagens. Khajuraho é um complexo de templos hindus decorado com esculturas eróticas e sensuais, considerado por muitos o melhor do seu género no mundo.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

Índia para amantes de montanha

Gosta de montanha? A Índia põe-no louco. Então as montanhas são a sua “praia”. As montanhas dos Himalaias, na Índia, são maravilhosas e dos lugares com cultura tibetana mais bem preservada. Se é o seu caso, estes são os lugares que deve visitar:

  • VALE DE SPITI – No coração dos Himalaias, na parte noroeste da Índia, entre Manali e Shimla, estende-se o vale de Spiti, um prolongamento no planalto tibetano, povoado por populações tibetanas, muitas exiladas do Tibete, que fazem a sua vida nas aldeias de montanha. Este é um mundo budista, longe da Índia clássica e tradicional. Os templos dão lugar aos mosteiros, as cidades super-povoadas dão lugar a aldeias quase vazias e as estradas apinhadas de trânsito dão lugar a trilhos de montanha. É como viajar na Índia fora da Índia.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • LADAKH – A região do Ladakh, no noroeste da Índia, é um paraíso para os amantes de montanha e de trilhos pedestres. A cidade de Leh é a porta de entrada para explorar a região, cheia de mosteiros budistas tibetanos, stupas e trilhos que exploram os vales circundantes. Há trilhos para se fazerem no Verão e no Inverno, quando os rios congelam. É um lugar obrigatório a conhecer quando viajar na Índia.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • SIKKIM – Encravado no nordeste da Índia, entre o Nepal e o Butão, o Sikkim é mais um prolongamento dos Himalaias no território indiano. A população é maioritariamente budista, rural e com uma forte componente espiritual, vivendo nas montanhas em comunhão com a natureza. Gangtok é a porta de entrada na região, mas a maioria dos viajantes chega ao Sikkim vindos de Darjeeling, um pouco mais a sul.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

Índia para aficionados

Se é mesmo aficionado pela cultura indiana, se gosta e gostava de conhecer e perceber melhor o Hinduísmo e o modo de vida dos indianos, então terá que se embrenhar numa índia mais profunda e culturalmente desafiante. Estes são os locais que deve conhecer quando viajar na Índia.

  • VARANASI – A cidade de Varanasi é um daqueles murros no estômago bem fortes.  Não é um local para principiantes, nem na Índia, nem nas viagens. Requer alguma experiência em viagem, mas acima de tudo, requer tolerância e mente aberta. Visitar Varanasi é uma lição de vida, e de morte, e quem gosta da cultura indiana não deve perder.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • REGIÃO DE BADAMI – Esta é uma das regiões menos visitadas da Índia, ainda que fique a pouco mais de 5 horas de viagem de Hampi. No entanto, estradas esburacadas e de terra batida não convidam muitos turistas a viajar na Índia. Não há grandes infraestruturas turisticas e a comida tem doses exageradas de especiarias e picantes. No entanto, é ali que estão algumas das mais belas ruínas hindus da Índia, tais como Aihole, Pattadakal e Badami. Se é aficionado pela Índia não pode perder esta região.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • AJANTA E ELORA – As maravilhosas grutas hindus de Ajanta e Elora, no interior da Índia Central, no estado de Maharastra, bem perto de Aurangabad, são um lugar de visita obrigatória para os aficionados pela Índia. São grutas religiosas escavadas nas rochas, umas budistas, outras hindus e outras ainda jainistas. São verdadeiramente impressionantes e como só a Índia lhe pode mostrar.

 

  • ORISSA – O estado de Orissa tem algumas da mais belas experiências de viagem na Índia mas é preciso estar preparado para viajar lá. O choque cultural é grande porque as infraestruturas de apoio aos turistas são poucas e a sociedade ainda é muito tradicional. Conhecer a cidade sagrada de Puri é uma das melhores experiências que pode ter na Índia, especialmente conhecer o templo principal e os ghats crematórios. Mas há mais para explorar quando viajar na Índia, nomeadamente Bhubaneswar, a cidade dos templos, ou Konark.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • DELHI – Delhi é provavelmente o local que recebe mais turistas na Índia já que a maioria deles usa a capital indiana como porta de entrada para viajar na Índia. No entanto, poucos gostam verdadeiramente de Delhi e a maioria usa a cidade como ponto de passagem. Mas Delhi tem imensos locais maravilhosos para explorar. Para se aventurar a fundo na cidade é preciso já ter alguma experiência de viagem pela Índia porque em Delhi abundam esquemas com viajantes.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • CALCUTÁ – A cidade de Calcutá não é para todos e, como gosto de dizer, é o último reduto da pobreza na Índia. Conhecer a cidade implica ver muita coisa que não gostaríamos de ver, ou melhor, que gostaríamos que não existissem, mas que faz parte integrante da cidade. Para conhecer verdadeiramente Calcutá é necessário empedernir o coração, daí que seja um local aconselhado para os aficionados pela Índia.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • MADHYA PRADESH – O estado de Madhya Pradesh é um excelente destino de viagem para os amantes da cultura indiana. É possível conhecer e vibrar com cidades que floresceram na época da Rota das Especiarias, tal como Bhopal, ou com os testemunhos das primeiras construções budistas, como a maravilhosa stupa de Sanchi, ou a cidade imperial de Gwalior. Não são destinos muito famosos para primeiras viagens pela Índia, mas são definitivamente locais e experiências de viagem fabulosas para quem vai viajar na Índia.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

Índia para os “loucos pela Índia”

Se tem dúvidas se se enquadra neste tópico pode sempre fazer o nosso teste, com 10 coisas que mostram que é LOUCO PELA ÍNDIA. Se encaixa neste grupo, já pode começar a viajar na Índia para alguns destes ou de outros lugares.

  • SRINAGAR e CAXEMIRA – A Caxemira indiana não é para todos. Viajar para Srinagar, a cidade no lago, com barcos casas que servem de alojamento, ou Jammu, próximo da fronteira com o Paquistão, exige alguma dose de loucura e coragem. No fundo, as condições de segurança são voláteis e mudam com muita frequência. Nós visitámos a região em 2007, numa altura em que a situação estava “razoável” mas mesmo assim houve um atentado com um carro armadilhado num jardim de Srinagar num dos dias em que lá estivemos. Jammu é mais puxado, com centro comerciais e feiras de armamento. Um destino para viajar na Índia mais surreal do que a própria Índia.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • DHARAMSALA e MCLEOD GANJ – Os “loucos pela Índia” procuram destinos loucos para viajar na Índia e este é um deles. É um pouco da Índia nas montanhas, nos contrafortes dos Himalaias, onde muitos dos que lá estão, a viver ou em viagem, adoptaram a Índia e o budismo indiano como filosofia de vida (como gostam de lhe chamar). Ainda que muitos viajantes visitem Dharamsala e Mcleod Ganj e não sejam “loucos pela Índia”, prepare-se para ver muitos indianalizados por lá.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

  • BODHGAYA – No coração da Índia, no Bihar, um dos estados mais pobres e rurais do país, fica Bodhgaya, o local onde Buda atingiu a iluminação. Aí existem vários mosteiros, templos, estátuas e locais de oração. É possível dormir nos mosteiros e percorrer os campos verdejantes (ou secos, dependendo da altura do ano) até à gruta onde Siddhartha Gautama esteve isolado e atingiu o nirvana. Um destino para os “loucos pela Índia”.

Diga-nos que tipo de viajante é, nós dissemos-lhe para onde deve viajar na Índia

PROCURE AQUI ALOJAMENTO NA ÍNDIA

Carla Mota

Geógrafa com uma enorme paixão pelas viagens e pelo mundo. Desde muito cedo que as viagens de exploração fazem parte da sua vida, culminando num doutoramento nos Andes, investigando ambientes glaciares. A busca do conhecimento do mundo leva-a em direcção a culturas perdidas e ameaçadas, tentando percebe-las. Hoje é também líder de viagens de aventura na Nomad.

More Posts - Facebook - Google Plus - Flickr - YouTube

34 Comentários

  1. A Índia está atravessada na garganta, pois já tive tudo marcado para uma viagem a partir de Deli mas tive que cancelar em cima da hora. Gostei muito da forma como estruturaste o artigo, para quem pensa visitar este país está muito bem explicado. Post muito util, parabéns.

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Pedro.

  2. Viviane Carneiro diz: Responder

    Eu simplesmente amei esse post! Acho a Índia um país incrível e acredito que a experiência de conhecer esse país deve ser transformadora. Porém, nunca tinha pensado em ir porque imaginava que sentiria um choque cultural muito grande, mas lendo esse post vejo que posso começar por algumas regiões sitadas aqui. Adorei!

    1. Carla Mota diz: Responder

      A Índia tem um canto para cada um de nós. 😉

  3. A Índia é daqueles países que sei que vou visitar, mas ainda não está no topo da lista. Penso que é porque imagino que seja uma viagem cansativa e que, como confirmam logo no início do post, não seja de todo fácil de digerir. Imagino também que o choque cultural vai ser grande e, para já, não me sinto capaz disso. Mas não tenho pressa: tenho a vida toda pela frente e, mais tarde ou mais cedo, a Índia passará certamente ao topo desta minha infindável lista de países que quero conhecer! Assim de repente, o que referiste na Índia para principiantes, para sonhadores e para amantes de montanha parece a minha cara. Mas acho que jamais iria à Índia sem tentar conhecer Deli e Calcutá!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Olá Ana. Essa consciência é muito boa e importante para que uma viagem à Índia corra bem. É importante conhecer Delhi e Calcutá, mas é importante não começar por aí porque senão corre-se o risco de detestar a Índia ao primeiro embate e, todos sabemos a importância que tem a “primeira vista”.

  4. Estamos viajando há um ano pelo Sudeste Asiático e, sempre que pensamos em viajar pra Índia, vem aquela ansiedade e aquela vontade de passar mais de um ano só lá. Adorei as dicas e super vou guardar nos favoritos. Assim que comprar a passagem pra Índia vai ser o primeiro post que vou olhar, já que está super completo. Parabéns!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Victória. A Índia não é deste mundo. É de outro planeta.

  5. Ai a Índia, a Índia… está na minha wishlist há demasiado tempo! Super post, cheio de dicas muito úteis! Obrigada :)

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Maria João.

  6. Eu teria de “fazer” a Índia para principiantes 😊. Tenho muita vontade de conhecer este país, mas sempre tive muito receio do choque cultural. Com este artigo fico um pouco mais segura de que é possível visitar o país sem um choque inicial tão grande. Gostei muito do artigo.

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Sónia. Vai sim, a Índia merece.

  7. Carla que post maravilhoso. Sempre tive a dúvida se havia algum lugar light para eu visitar a Índia e não tomar esse choque cultural assim de cara. Adorei todas as dicas e com certeza você me fez ficar pensando 💭. Abraços.

    1. Carla Mota diz: Responder

      Força, Giulia. A Índia tem um cantinho adequado para cada pessoa. O importante é saber o que visitar. Escolher o lugar certo para poder desfrutar.

  8. Carla, parabéns! Amei o teu post! Eu digo que nunca irei a Índia, mas depois de ler teu post descobri que tem uma Índia para mim. Obrigada!

    1. Carla Mota diz: Responder

      É isso mesmo. A Índia tem um canto para cada um. 😉

  9. Caramba, que post! Sério, tenho de compartilhar no meu facebook. Um verdadeiro guia prático de regiões da Índia, esse país complicado e de cultura tão diferente da nossa. Parabéns pelas dicas, está salvo nos favoritos!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada pela partilha. 😀

  10. que lugar imenso e diverso é a Índia, se eu pudesse gostaria de conhecer o país inteiro, quero muito ir a Delhi, ao Rajastão e é claro a Querala, eu adorei acompanhar todos os blogs que participaram da viagem!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Quem sabe não consegues ir no próximo ano a Querala. Boa sorte.

  11. Lid Costa diz: Responder

    Não imaginava que a Índia era tão cheia de contrastes, várias Indias dentro do mesmo país. Acho que vou gostar de conhecer as Ilhas Andaman (adoro natureza) e o Taj Mahal, claro!

    1. Carla Mota diz: Responder

      O importante é viajar de encontro às expectativas. Esse é o segredo.

  12. Que post incrível, com fotos incríveis desse lugar incrível! Estive uma vez só na Índia, em Delhi, à trabalho e fomos a Agra de carro, passando por várias favelas, uma pobreza sem fim, mas bela e colorida, difícil de ver, mas ao mesmo tempo extremamente fotogênica. Tenho vontade de voltar e explorar todas a Índias!

    1. Carla Mota diz: Responder

      A Índia não é fácil é verdade mas talvez por isso seja tão interessante. É um país que não é fácil definir.

  13. Responde todas as perguntas que eu sempre fiz em relação à visitar a India. Sempre quis ir mas deixei pra segundo plano pois, é muito difícil decidir. Vou salvar esse texto pra usar no futuro, muito obrigado e parabéns, nota 10!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Obrigada, Robba. 😀

  14. Olhem…este era o post que estava a precisar hehehe. Já tinha pensado sobre isso, a Índia é “tanta coisa”…perco-me sempre com os nomes enão consigo fixar nada. Para começar eu iria para o vale de spiti sem dúvida. As montanhas…e mais não digo. Mas primeiro “tenho” de ir até ao Bangladesh hahaha

    1. Carla Mota diz: Responder

      Nós também fomos ao Bangladesh, e acredita, a Índia é menos caótico! 😀 ehheehhe O Vale de Spiti é de sonho mas é uma outra Índia. A vantagem da Índia é essa. Tem um mundo lá dentro.

  15. Carla confesso que me enquadro na Índia para principiantes e na Índia para sonhadores e românticos. Por sua vez o João tenta enquadrar-me na Índia para amantes da montanha sempre que me fala numa viagem de mota pelo Vale Spiti (para já, e para iniciante na Índia, considero adrenalina a mais ehehe). As fotos estão mágicas e o texto de fazer sonhar. A excelência como sempre. Parabéns!

    1. Carla Mota diz: Responder

      Patrícia, o Vale de Spiti é maravilhoso. E não é difícil de viajar. Aliás também pode ser para principiantes. De mota deve ser ainda mais maravilhoso porque permite-te viajar ao teu ritmo e parar sempre que quiseres. Força, é maravilhoso. Não te vais arrepender.

      1. Pelas imagens que vejo não tenho dúvidas! Mas como é algo vertiginoso e eu sou um pouco dada a essas mariquices eheh daí o receio. Qualquer coisa já disse ao meu marido: vou a pé ao lado da mota ahah 😉 Beijinhos!

        1. Carla Mota diz: Responder

          Boa, Patrícia! 😀

  16. Adorei este post, que dá a conhecer as diferenças dos vários locais da gigante Índia. Apesar de não conhecer mais nada do que Kerala, pelo que vejo, tenho a certeza do que dizes… Kerala é ótima para principiantes. Adorei lá estar e quero muito voltar para conhecer tudo o resto! 😀 Boas viagens!

    1. Carla Mota diz: Responder

      É mesmo. Querala é magnífica para principiantes e por isso é que todos adoram viajar lá. É lindo e não tem tanto choque cultural como nos outros locais. Tenho saudades. Tens que voltar, Susana. bjinhos

Deixe uma resposta