Dia 15 – Vamos ficar sem gasolina e perdidos nas montanhas? De Nagorno Karaback a Tatev e Meghri | Crónicas do Rally Mongol

Dia 15 - Vamos ficar sem gasolina e perdidos nos montes? De Nagorno Karaback a Tatev e Meghri | Crónicas do Rally Mongol

Sentámos à mesa de Saro e Diter como convidados da família para o último pequeno-almoço em Karaback. Chá, doces, queijo, pão e uma bela conversa. São ingredientes fundamentais para boas memórias futuras. O nosso destino do dia seria Meghri, na fronteira com o Irão.

Saro exibe o livro de Lenine com orgulho. Chama-lhe a “bíblia”, com um toque de humor e diz-nos que a relação que tem com Lenine é “complicada”. Ao mesmo tempo que o admira, lembra-se que teve familiares deportados e mortos nos Gulags. Memórias da ex-URSS que ainda se escutam nas suas ex-repúblicas. Depois de imensas fotos de despedida, era hora de sair.

Ainda queríamos percorrer um trilho a pé no Canhão de Huton e foi isso que fizemos. Fomos de carro até à entrada da garganta e depois caminhámos pelo seu interior até à queda de água. As famílias Karabacks começavam a chegar para fazer piqueniques quando fazíamos o percurso de volta. O canhão é fabuloso e lembra o Vale das Buracas na Serra do Sicó.

O nosso dia era ambicioso, especialmente porque sabíamos que queríamos chegar à fronteira do Irão, percorrendo uma das estradas mais remotas da Arménia. Deixamos Nagorno Karaback para trás e cruzamos a fronteira com a Arménia.

Seguimos viagem em direcção a Tatev, o mosteiro mais famoso do país, com o maior teleférico do mundo. Cruzámos as gargantas encaixadas até ao planalto de Tatev, onde se ergue o mosteiro.

O mosteiro de Tatev é o mais emblemático da Arménia, quer pela sua posição geográfica, quer porque está localizado num local bem remoto. Infelizmente, a quantidade de turistas e o seu aspecto reconstruído tiram-lhe algum encanto.

Depois de uma visita era hora de seguir viagem. A estrada que tínhamos pela frente não ia ser fácil. Com a “burra” quase sem gasolina e sem certezas sobre os quilómetros e qualidade de estrada que teríamos pela frente, tivemos que tomar uma decisão.

A gasolina estava quase a reserva mas o posto de abastecimento mais próximo ficava a cerca de 50 km. A estrada, a julgar pelo aspecto dos primeiros 10 km percorridos seria para percorrer quase toda em 1ª e 2ª (mudança). Depois de ponderarmos bem, decidimos seguir em frente, pela estrada pior, em terra batida, esburacada e sem postos de abastecimento.

Eram 18h e sabíamos que arriscaríamos a passar a noite na estrada se ficássemos sem combustível ou sem luz. Deixámos a aldeia de Tatev para trás e seguimos para Kapan. Três horas depois, muitos buracos depois, muito pó depois e muita ansiedade depois, chegávamos a Kapan e encontrámos a Estação de Serviço. Abastacemos imediatamente e seguimos em direcção a Meghri, onde passaríamos a noite.

As estrelas e a lua cheia iluminavam o caminho nas montanhas escurecidas pela noite. Eram quase 23h quando chegámos a Meghri. O dia tinha sido cansativo e estávamos todos estoirados e cobertos de pó. Caímos na cama como rochedos…

Carla Mota

Geógrafa com uma enorme paixão pelas viagens e pelo mundo. Desde muito cedo que as viagens de exploração fazem parte da sua vida. A busca do conhecimento do mundo leva-a em direcção a culturas perdidas e ameaçadas, tentando percebe-las. Hoje é também líder de viagens de aventura na Nomad.

More Posts - Facebook - Google Plus - Flickr - YouTube

.

PROGRAME A SUA VIAGEM

  Faça as suas reservas através das parcerias do nosso blogue. Você NÃO PAGA MAIS, nós ganhamos uma pequena comissão. Assim conseguimos manter o blogue com opiniões isentas.

      Reserve o hotel no Booking.com e encontre as melhores promoções. Reserve e cancele sempre que necessitar.

 Reserve os seus voos com a Skyscanner. Garanta os melhores preços.

Alugue carro usando o Rent a Car, comparando e escolhendo o melhor preço antes de viajar. Tudo na comodidade de sua casa.

      Faça seguro de viagem na World Nomads ao menor preço do mercado.

     Usamos os guias de viagem da Lonely Planet para preparar as nossas viagens. Se faz o mesmo, pode comprá-los online. Sai mais barato e os portes são grátis a partir dos 35€.

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.