Como reservar alojamento na internet?

IMG_6687
Para quem viaja há bastante tempo, a questão de marcar alojamento através da internet pode parecer básica, mas para quem começa a viajar, esta pode ser uma tarefa que levanta várias questões. Assim, no presente post iremos esclarecer algumas dúvidas sobre reservar alojamento.  
Hostel em Narsarsuaq, Gronelândia.

1. Reservar alojamento pela internet ou arranjar quando chegar ao local?

Esta é a primeira questão que se coloca ao viajante. Marcar, ou não, alojamento antecipadamente? Tudo depende do tempo que tem disponível. Idealmente, reservar com antecedência é melhor, já que assegura um lugar para dormir. Se tem viagens curtas, é ideal reservar alojamento, caso contrário perderá muito tempo no local a tentar arranjar um alojamento que lhe agrade, do ponto de vista económico e de conforto. Para além disso pode ter que lidar com o facto de estar lotado. Nos dias de chegada a um local novo, é conveniente ter alojamento reservado, especialmente para a primeira noite. No entanto, o problema de reservar alojamento pela internet é que, para alguns destinos, os preços são mais caros do que aqueles praticados no local. No entanto, convém realçar que, também há destinos onde se passa o contrário. Por exemplo, nas cidades chinesas mais turísticas é mais barato reservar os quartos pela internet do que chegar e arranjar um quarto no momento. Se pretende ficar num alojamento específico convém reservar alojamento com antecedência. Durante a época alta é conveniente reservar alojamento, uma vez que os melhores locais enchem com facilidade. Assim, os nossos conselhos são:
 
– Marcar alojamento pela internet para o dia de chegada ao aeroporto;
– Marcar alojamento pela internet para destinos populares (ex. grandes cidades, capitais, cidades turísticas);
– Marcar alojamento pela internet quando viaja em época alta (ex. Natal, Carnaval, Páscoa, Verão, Festivais e outras festividades)
– Marcar alojamento pela internet quando viaja com tempo limitado. 
 

2. Que alojamento escolher? 

Há uma variedade muito grande de alojamentos que poderá escolher: hostels, hotéis, guesthouses, resorts, campings, etc.   
Hostel em Holbox, no México.

Hotéis

Os hotéis são os alojamentos mais tradicionais quando pensamos em procurar um local para dormir. São edifícios standard, normalmente prédios, onde se aluga um quarto, single ou duplo. O hotel oferece apenas o quarto, que pode ter ou não wc. Deve estar atento para ver se a tarifa do quarto tem ou não incluído o pequeno-almoço. 

Hotel em Samarcanda, Uzbequistão.

Hostel

Os hostels são alojamento do tipo “pousadas da juventude” e têm tudo aquilo que um viajante necessita quando viaja de forma independente. Os hostels foram aparecendo devido ao facto de haver cada vez mais pessoas a viajar de forma autónoma, com recursos económicos limitados. Assim, o hostel, oferece tudo aquilo que o viajante necessita para poupar dinheiro e ver as suas necessidades preenchidas. Geralmente, os hostels têm cozinha devidamente equipada com fogão, forno, micro-ondas, frigorífico e louças. Possuem computadores com ligação à internet gratuita e Wi-Fi. Para além disso, têm áreas comuns para contacto dos viajantes, bar e banhos e WCs grandes e cuidados. Os hostels são uma excelente opção, seja para ficar numa cama num dormitório ou num quarto duplo. Se for utilizar a rede de hostels do Hostelling Internacional (onde se inclui as pousadas da juventude) é conveniente comprar o cartão do Hostelling Internacional (cartão de alberguista). Faça-o em Portugal, em qualquer Pousada da Juventude, onde o preço é de 6€ em vez dos 14€ praticados na maioria dos países europeus e sul-americanos.
Os hostels são locais ideias para conhecer outros viajantes e sociabilizar.

Guesthouses

São casas familiares transformadas em “pequenos alojamentos turísticos”. Normalmente, não têm dormitórios, mas alguns permitem partilhar quartos triplos ou quádruplos. Predominam os quartos duplos e com conforto. Os pequenos-almoços estão geralmente incluídos e são deliciosos, com compotas, pão caseiro e frutas da época. Distinguem-se dos hostels pelo ambiente mais familiar. Os quartos duplos rondam os mesmos preços que nos hostels. Raramente permitem usar a cozinha.
Numa guesthouse na Ilha Cozumel, no México.

Resorts 

Os resorts são alojamentos de luxo, especialmente populares nas áreas de praia, como ilhas e áreas de costa arenosa. São geralmente muito mais caros do que os hotéis, guesthouses e hostels. Distinguem-se dos demais alojamentos pelo ambiente seleccionado, pelo conforto, pelo luxo e pelo ambiente romântico.
Resort na Ilha Holbox, no México.

Lodges

Os lodges são alojamentos de luxo e especialmente populares nos parques nacionais africanos. Tal como os resorts, são geralmente muito mais caros do que demais alojamentos e apresentam um ambiente seleccionado, com conforto, luxo e ambiente romântico.
Lodge no deserto de Lompoul, no Senegal.

Alojamentos tradicionais

Uma das melhores opções de alojamento é ficar em alojamentos típicos de cada país. Se for ao Tibete, Índia, Japão, Tailândia, Myanmar, Cambodja ou Laos, não perca a oportunidade de ficar num templo ou mosteiro. Se viajar para a Ásia Central, como Quirguistão ou Mongólia, experimente uma noite numa yurt (ou ger). Se for para a Gronelândia experimente uma casa de turfa. Não faltam ideias de locais originais para ficar alojados. Alguns até são possíveis de reservar através do booking.
Dormindo numa casa de turfa em Qasianguit, na Gronelândia.

Parque de Campismo 

Dependendo dos países, podemos encontrar diferentes gamas de parques de campismo. Na generalidade, os parques de campismo estão bem equipados e têm serviços de electricidade, balneários, bar, restaurante e até mini-mercado. São uma óptima opção durante o verão já que são bastante económicos. Tem, no entanto, que viajar com tenda de campismo, isolador e saco-cama.
Parque de campismo em Myvatn, na Islândia.

3. Como e onde marcar?

Quando pensa em reservar alojamento a primeira coisa a fazer é pesquisar na internet. Há alguns sites que podem ser boas ferramentas para reservar alojamento. Partilharemos aqui aqueles que nós utilizamos nas nossas viagens.

– Booking.com:

É provavelmente o site mais completo em termos de oferta de alojamento, já que reúne no mesmo espaço hotéis, hostels, resorts, lodges, guesthouses e por vezes também campings. Isto faz do booking uma óptima ferramenta de pesquisa. Permite comparar preços e fazer escolhas mais informadas. Tem a vantagem de poder marcar sem efectuar qualquer pagamento prévio e poder gerir a sua reserva online (cancelando, acrescentando ou tirando noites e até, alterando datas). Estará, obviamente, dependente da disponibilidade do alojamento.

– Hostel World:

Este é um site importante para quem privilegia estadias em hostels. Geralmente tem preços mais baixos nos dormitórios do que o booking, mas deve pesquisar nos dois para comparar. Não tem tanta quantidade de alojamentos disponíveis como o booking.

– Directamente no alojamento:

Se sabe exactamente onde quer ficar, compare as tarifas do alojamento nos sites de busca, mas contacte também o alojamento por email. Muitas vezes conseguirá melhores tarifas numa abordagem directa. Esta opção permite-lhe também negociar o preço do quarto. Há muitos países onde se negoceia tudo, incluindo o preço do alojamento.

– Airbnb:

Esta nova rede permite encontrar algumas guesthouses e quartos, mas especialmente apartamentos. Destina-se a viajantes que procurem alojamento para estadias mais prolongadas, requerendo alguma privacidade. Vai ficar uma semana em Paris, em Veneza ou em Nova York, então o Airbnb é uma óptima opção. Vai apenas ficar duas noites em Paris, talvez esta não seja a melhor opção. Aproveite o nosso link e ganhe um desconto de 35€ ao fazer uma reserva com o Airbnb.

– Couchsurfing:

O couchsurfing é uma rede social que permite por em contacto todas as pessoas que viajam no mundo e estão dispostas a ajudar outros viajantes. A ideia é recebermos em nossa casa viajantes, oferecendo-lhes um local para dormir, e poder recorrer a outras pessoas da rede para dormir em casa delas quando viajamos. O objectivo é as pessoas poderem receber viajantes em sua casa, enriquecendo com a partilha de experiências, e alojar-se na casa de pessoas locais, sem custos associados. Não há pagamento do alojamento no couchsurfing mas é de bom tom levar alguma coisa para oferecer ao seu anfitrião. Postais, ímanes ou produtos típicos do seu país, são boas ideias. Não abuse da hospitalidade dos anfitriões e não abuse da boa vontade das pessoas desta rede. Ajude a dignificá-la ainda mais.
MahommedReza, o nosso anfitrião de couchsurfing, em Bandar Abbas, Irão.
  

4. O que privilegiar na escolha de um alojamento? 

A escolha do alojamento depende muito do tempo que vai ficar no local e do que vai fazer. Nas nossas viagens privilegiamos sempre a localização. Preferimos ficar em locais com menos comodidade e higiene no centro da cidade, do que em lugares mais cómodos, afastados do centro ou nas periferias. A localização é para nós o principal critério para escolher um alojamento. Procuramos locais no centro ou próximo das estações de comboio e metro.
Hostel em Monterrico, na Guatemala.
O segundo critério que usamos é o pequeno-almoço. Vemos se o pequeno-almoço está incluído na tarifa do alojamento já que isso nos permite poupar algum dinheiro e, nalguns casos, levar uma peça de fruta ou sandes para o almoço. A utilização da cozinha é também algo que damos bastante importância.
O terceiro critério que usamos é a segurança do alojamento. Os principais instrumentos de reserva de alojamento têm reviews de outros viajantes. Leia-os com cuidado e veja se há indicações de roubos ou insegurança no alojamento ou nos bairros onde estão localizados. Nunca marcamos um alojamento sem ler as reviews de outros viajantes que lá ficaram.
Ficou com as suas dúvidas esclarecidas? Esperamos que sim. Não perca tempo. Marque já a sua próxima aventura, vá já reservar alojamento e viaje.

Carla Mota

Geógrafa com uma enorme paixão pelas viagens e pelo mundo. Desde muito cedo que as viagens de exploração fazem parte da sua vida, culminando num doutoramento nos Andes, investigando ambientes glaciares. A busca do conhecimento do mundo leva-a em direcção a culturas perdidas e ameaçadas, tentando percebe-las. Hoje é também líder de viagens de aventura na Nomad.

More Posts - Facebook - Google Plus - Flickr - YouTube

6 Comment

  1. Joao Duarte says: Responder

    Boa noite, parabéns pelo vosso site.
    Estou a preparar a minha viagem pela Sibéria e gostava de passar pela Mongólia, nomeadamente pela capital. Gostava de saber se recomendam perto da capital algum sítio para ficar num yurt?

    Muito obrigado

    1. Carla Mota says: Responder

      Olá João, em Ulan Batar é fácil arranjar tours para o Terelj, com uma noite numa ger (yurt). Todos os hotéis e hostels da cidade podem arranjar isso. POde ver mais aqui http://www.viajarentreviagens.pt/mongolia/parque-nacional-do-terelj/

      1. João Duarte says: Responder

        Muito obrigado pela resposta. Já agora aproveito para tentar saber mais qualquer coisa. Quer com isto dizer que devo ficar hospedado a primeira noite em UB e através da recepção marcar um tour para o parque com o respectivo transporte, ou consigo fazer as reservas pela internet?

        Mais uma vez obrigado

        1. Carla Mota says: Responder

          Sim, João. É conveniente ficar um ou dois dias em Ulan Batar até porque a cidade tem muitas coisas que valem a pena ver. Nós fizemos as reservas dos hostels na internet e foi através de um deles que marcamos antecipadamente o tour para o Gobi. O resto marcamos tudo lá.

      2. Joao Miguel Fernandes Duarte says: Responder

        Muito obrigado Carla pela resposta.

        Já agora o que sugere, marcar o tour para o parque, respectiva acomodação e transporte quando se lá estiver num wualquer hostel ou marcar previamente? Obrigado

        1. Carla Mota says: Responder

          Nós marcamos o tour de um ou dois dias lá. O tour maior, para o Gobi, marcamos antecipadamente.

Deixar uma resposta