Na estrada para o Iémen | Omã

Estrada para o Iémen | Salalah | Omã

Nas viagens, os países inacessíveis são, por vezes, os mais apetecíveis. Por isso, não é de estranhar que, para os viajantes, os países que actualmente estão inacessíveis à exploração em condições normais de segurança são aqueles que despertam mais curiosidade junto daqueles que almejam territórios desafiantes. O Iémen é um exemplo desses países, antes paraíso dos viajantes independentes, fruto da cultura das suas gentes e lugares ainda intocados pela modernidade, hoje um país mergulhado num conflito do qual pouco se ouve falar no ocidente, mas o qual alterou profundamente a vida dos iemenitas e daqueles que desejavam, como nós, conhecer aquele país.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

À semelhança da Síria, antigamente um dos países mais desenvolvidos e mais laicos do Médio Oriente, e hoje um dos países cujo caos político e militar afecta de forma grave a própria integridade territorial do país e, principalmente, a vida dos seus habitantes, o Iémen viu as suas populações afectadas por um grave conflito alimentado pelos EUA e Arábia Saudita, por um lado, e rebeldes xiitas apoiados pelo Irão, por outro, e viu as suas fronteiras encerradas para viajantes.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Há alguns anos, nós tínhamos a viagem para o Iémen delineada e em vias de planeamento mais detalhado. No entanto, o conflito rebentou, e os nossos planos foram gorados. Hoje, o nosso périplo por Omã, vizinho do Iémen (e para cuja entrada existem duas fronteiras abertas a cidadãos omanitas), permitiu-nos reviver a nossa vontade de visitar aquele país, e a nossa tristeza pela sua situação actual. Restou-nos percorrer (parcialmente) a estrada em Omã que liga Salalah à fronteira do Iémen, junto à povoação de Sarfait, e sonhar que, um dia, poderemos completar esta viagem até ao seu destino.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Para além do destino final, a estrada de Salalah a Sarfait é, por si só, uma atracção, pois é uma obra de engenharia colossal, serpenteando montanhas costeiras e passando do nível do mar para cotas de 1200 m em poucos quilómetros. Para além disso, existem vários motivos de interesse, locais que vale a pena visitar, mesmo sabendo-se que não se chegará à fronteira com o Iémen. Ficam aqui as nossas sugestões de lugares a visitar na estrada de Salalah a Sarfait.

Mughsail

A cerca de 48 km a oeste de Salalah, encontra-se uma das mais bonitas praias de Omã, aninhada numa baía imensa, delimitada por uma costa recortada por picos montanhosos.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

O mar de cor azul-turquesa, e as palmeiras que se perfilam ao longo do comprimento do areal, dão um ar idílico ao local e semelhanças às Caraíbas. Mas, para variar, não havia ninguém na praia. Apenas alguns pescadores arranjavam os seus barcos para a faina do dia seguinte. Como vínhamos de uma pernoita no deserto, e uma passagem por Salalah, só tínhamos conseguido chegar ali já ao início da tarde.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Antes do início da subida da estrada para as montanhas, há um acesso à esquerda para os famosos blowholes (respiradouros ) de Mughsail, aberturas na rocha junto ao mar, cujas correntes e marés (mais fortes na época das chuvas) empurram a água para cima, fazendo com que estes blowholes se comportem como mini géiseres, mas com água salgada e vinda do mar.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Fizayah

Depois de um troço espectacular da estrada de Salalah a Sarfait, com curvas e contra curvas serpenteando vertentes acima e abaixo, parámos num dos lugares mais belos que conhecemos em Omã, Fizayah, uma pequena praia de água azul-turquesa. Para lá chegarmos, percorremos um troço vertiginoso de estrada de terra batida que desce as falésias que parecem esconder a praia de olhares mais curiosos.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Em certas alturas do ano, é possível testemunhar a viagem de camelos a esta praia para beber  água (doce) que ali chega vinda das montanhas, mas não tivemos essa sorte. Naquela altura, apenas alguns estrangeiros (aparentemente residentes em Salalah) aproveitavam a praia, reforçando a nossa ideia de que a maioria dos estrangeiros que se vêem a viajar em Omã são residentes nos países do golfo.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Aproveitámos para parar, aproveitar o bom tempo, desfrutar da belíssima praia, caminhar um pouco e fotografar alguns barcos de pescadores.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Quase até ao Iémen

Daquele ponto em diante existem postos de controlo fronteiriço e militar. O Iémen está ao virar da esquina, e é necessário vigiar pessoas e mercadorias que atravessam a fronteira todos os dias. Depois de passar pelo controle sem problemas, seguimos em direcção a oeste, e parámos em Qayfuz Shaat, uma pequena povoação perto da qual existe um promontório rochoso que, segundo o nosso guia, tem uma vista fabulosa para o mar. No entanto, uma nuvem de nevoeiro deslocava-se do mar para dentro e era impossível contemplar qualquer coisa, mesmo depois de descermos por umas cavidades na vertente rochosa.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

Andando mais uma dezena de quilómetros para oeste, parámos em Arift, aquela que seria a povoação mais ocidental a que chegaríamos na estrada de Salalah a Sarfait. Era já tarde, mas ainda não tínhamos almoçado, e assim, juntamente com o nosso guia, resolvemos almoçar num restaurante de beira de estrada, onde comemos com os habitantes locais, que pareciam curiosos pela nossa presença. Em particular, um velhote com um semblante queimado pelo sol e vincado pela idade e pela vida interessou-se pela Carla e, primeiro perguntou se ela tinha medo de falar com ele, disse que tinha várias mulheres e elogiou a sua beleza, tudo traduzido pelo nosso guia.

Na estrada para o Iémen (de Salalah) | Omã

A simplicidade daquele homem, e a sua genuína simpatia, fez-nos pensar que o Iémen é mesmo um destino que, um dia, nos levará mais longe, para além daquelas montanhas que ficaram no nosso horizonte. Daquela vez, voltámos para trás, de volta a Salalah. No futuro, noutra oportunidade, seguiremos em frente, com o Iémen como destino. Para bem das suas gentes, esperemos que um dia as condições voltem a ser propícias para a nossa viagem adiada.

PROCURE AQUI ALOJAMENTO EM SALALAH

Rui Pinto

Físico de formação mas interessado em todos os aspectos da cultura e história da humanidade. As viagens são o meio privilegiado para um aprofundamento do conhecimento do mundo, das suas gentes e do nosso papel na vida.

More Posts - Facebook - Google Plus

22 Comment

  1. Muito interessante saber um pouco mais sobre o Omã. Com tudo o que já li começo a ter vontade de lá ir…

    1. Carla Mota says: Responder

      É maravilhoso, Catarina.

  2. Viviane Carneiro says: Responder

    Nossa… que viagem mais incrível! Adorei as lindas fotos e ler esse relato. Que lugar rico em belezas e cultura. Amei!

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada 😀

  3. Adorei ler o relato da viagem. Tenho cada vez mais curiosidade em conhecer essa área, ainda que a instabilidade me deixe reticente – e honestamente não creio que tenha a experiência de viagem suficiente para «enfrentar» esses países. Mas talvez ainda me decida a conhecer Omã, que tem aparecido em tantos dos blogs que sigo que começo mesmo a ficar interessada!

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada 😀

  4. De facto estes países pouco badalados nos circulos turisticos são os que mais fascinam quem aprecia e vive do prazer de uma viagem de aventura e de descoberta. Obrigada pelas dicas e pela inspiração! :)

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada 😀

  5. Que prais lindas! Quer dizer que a Carla anda conquistando corações! ahaha que situação!

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada 😀

  6. Nossa, que demais. Confesso sei muito pouco sobre os países do Oriente Médio. Quanta beleza neste destino, as praias me parecem bem paradisíacas, e fiquei encantada com aquela foto da estrada com curvas, me lembrou a estrada dos Caracoles no Chile.

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada 😀

  7. Nossa, esta viagem deve ser incrível! Diferente dos destinos usuais, muita cultura diferente e paisagens lindíssimas. Eu adorei ler o teu relato.

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada 😀

  8. Conheço pouco sobre o Iemén. É interessante ver como é um local tão diferente, e tão lindo ao mesmo tempo. Essas praias são muito lindas! E saber que existem poucas pessoas por ali deixa ainda mais interessante.

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada mas esta estrada é em Omã.

  9. O Iémen também faz parte do meu imaginário há muito tempo… Acredito – e espero – um dia ter essa possibilidade. Sinal de que o país estará a libertar-te das amarras das potências estrangeiras. Entretanto, vocês estimulam-me com Omã… cada vez mais interessado e curioso. Bjks e abraços!

    1. Carla Mota says: Responder

      Nós também. Vamos ver o que o futuro reserva.

  10. Espero que sim! Também já tenho o Iemen há muito tempo de baixo de olho, aqui está a região que me falta conhecer em Omã, espero em breve voltar e ir até aqui também! Boas viagens !

    1. Carla Mota says: Responder

      Força, Francisco. 😀

  11. Realmente o Iemén causa muita curiosidade! Que paisagens exuberantes vocês nos trouxeram! Amei! Beijos!

    1. Carla Mota says: Responder

      Obrigada 😀

Deixar uma resposta