A encantadora aldeia de Misfah, nas montanhas de Jebel Shams | Omã

Misfat Omã Oman

Misfah, também conhecida como Misfat al Abriyyin, é, provavelmente, a aldeia mais característica da região montanhosa de Jebel Shams. Durante muitos anos manteve-se completamente isolada na vertente das montanhas, mas agora há uma estrada asfaltada que liga Misfah a Al Hamra e à civilização. As casas da aldeia velha estão rodeadas de palmeirais e outras árvores de fruto, e terrenos cultivados em terraços. Mas, à semelhança do resto de Omã, Misfah está em profunda alteração.

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

A maior parte da população vive agora na parte nova da aldeia, logo ao lado, indo à parte velha para cultivar os terrenos ou recolher frutos. Por isso e pelo conservadorismo islâmico da população, não existe quase contacto nenhum com as pessoas. Até há bem pouco tempo, não existia nenhuma estrutura orientada para turistas, sendo que hoje está apenas limitada a uma guesthouse, que pratica preços elevados e oferece percursos guiados com um local.

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Nós chegámos a Misfah vindos de Nizwa, onde tínhamos dormido na noite anterior. O Fahad, da Arabica Orient Tours, estacionou o jipe num pequeno parque à entrada da aldeia e ficou à nossa espera no conforto do ar condicionado. Eram dez horas da manhã, e os 1000 m de altitude a que se encontra Misfah faz com que a temperatura não seja tão elevada como em Al Hamra, por exemplo, mas fazia já calor, e, em esforço físico, já se fazia sentir o seu peso.

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Embrenhámo-nos pelo meio dos edifícios em adobe, seguindo por vezes o sistema de irrigação em canais (em Omã conhecido como falaj), outras vezes cruzando os terraços à sombra das palmeiras, ou ainda entrando em algumas casas abandonadas para ter uma perspectiva diferente.

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Aventurámo-nos também fora da aldeia. O vale encaixado onde se encontra Misfah estende-se para nordeste e existe um percurso pedestre (W9) que sobe gradualmente pelo vale seguindo um antigo trilho de burros. Na sua totalidade, é um percurso exigente, com um desnível de 1000 m, e que liga a outros percursos, a subida demorando 5 a 6 horas, e a descida cerca de 4 horas. Não tínhamos esse tempo, por isso fizemos apenas o troço inicial do percurso, tendo boas vistas do vale e de campos cultivados. Mas, estava na hora de voltarmos ao jipe, e por isso regressámos pelo mesmo caminho. O nossa passeio por Misfah estava a chegar ao fim.

Misfah Omã Oman

A verdade é que, tal como em outros lugares em Omã, Misfah tem dois futuros à sua frente: a gradual degradação das casas abandonadas, com a sua possível destruição, ou a recuperação por parte do Estado, que, infelizmente, apesar de impedir a degradação dos edifícios, adultera a sua face tradicional, resultando num aspecto artificial.

Misfah Omã Oman

Misfah Omã Oman

Por enquanto, Misfah subsiste no limbo, não tendo sido alvo de nenhuma alteração profunda e por isso exibindo um traço ainda profundamente tradicional, e não tendo sofrido ainda uma degradação para além do razoável (embora algumas casas estejam em claro risco de desmoronamento). É por isso a altura certa de visitar esta belíssima aldeia nas montanhas de Omã e dar uma espreitadela a como seria viver no interior montanhoso do país há centenas de anos.

Misfah Omã Oman

Rui Pinto

Físico de formação mas interessado em todos os aspectos da cultura e história da humanidade. As viagens são o meio privilegiado para um aprofundamento do conhecimento do mundo, das suas gentes e do nosso papel na vida.

More Posts - Facebook - Google Plus

Deixar uma resposta