Kurumba Maldives, a escolha certa de um resort nas Maldivas | Maldivas

Maldivas Kurumba Maldives

Quando preparámos o nosso périplo pelas Maldivas, o nosso plano era explorar de forma independente algumas ilhas do arquipélago, mas não podíamos deixar passar a oportunidade de experimentar o turismo de resort, desfrutando das suas instalações, serviços e actividades. Os resorts, afinal, fazem parte da história das Maldivas, sendo que foram, durante muitos anos, o único sinónimo de turismo no país. E nada melhor para isso do que ficarmos alojados no primeiro de todos, o Kurumba Maldives, e ainda hoje um dos resorts mais populares do país.

Kurumba Maldives

A nossa escolha baseou-se na qualidade das instalações e do serviço, a variedade das actividades, a excelência da comida, e a localização privilegiada. Por último, o preço é bastante acessível, tendo em conta aquele praticado por muitos outros resorts nas Maldivas. Este resort tem também a vantagem de ser facilmente acessível, pois encontra-se a apenas 10 minutos de barco de Malé. Vindos de Maafushi, já tínhamos combinado com o Kurumba Maldives um transporte a partir do jetty 1 de Malé. O barco chegou à hora combinada e quase só deu tempo para beber uma garrafa de água e limpar a cara com uma toalha fresca até estarmos a desembarcar no porto da ilha Kurumba.

Kurumba Maldives

Fomos recebidos prontamente e informados acerca dos serviços e estruturas do resort. Um pequeno carro de golfe levou-nos ao nosso bungalow deluxe. Muito espaçoso, a arquitectura esmerada, tudo pensado até ao mais ínfimo pormenor. Uma casa de banho enorme, com um chuveiro interior e outro exterior, um lobby de entrada, o quarto e um alpendre, com o mar logo ali em frente, a algumas dezenas de metros. A disposição dos bungalows é em S ao longo da costa da ilha, fazendo que uns fiquem em cima da praia e outros um pouco mais afastados.

Kurumba Maldives

Kurumba Maldives

O tempo, infelizmente, está fraco. Durante a tarde, choveu quase o tempo todo! Não queríamos acreditar… Podíamos ter resolvido ir relaxar para o Spa do Kurumba Maldives, mas resolvemos fazê-lo no nosso maravilhoso quarto.

Kurumba Maldives

Quando as nuvens deram tréguas, fomos dar uma volta pela ilha. Localizada no centro de uma lagoa de água azul-turquesa e rodeada de recifes de coral, à volta há uma série de pequenas barreiras longitudinais, feitas de pedra de coral, de forma a reduzir a erosão da praia. Entre essas barreiras e a praia, a água é muito mais calma e quase sem ondulação, tornando-a perfeita para miúdos e graúdos. Mesmo com o tempo cinzento, mas quente, não resistimos a dar um primeiro mergulho!

Kurumba Maldives

Kurumba Maldives

A disposição do Kurumba Maldives é bem pensada, com as diferentes opções de alojamento, desde o quarto deluxe até à Royal Kurumba Residence, passando pelas pool villas, agrupadas em diferentes zonas. A piscina comum encontra-se junto aos bares, junto à água.

kurumba Maldives

kurumba Maldives

Quanto às refeições, o resort é conhecido por ter uma reputação nacional. O pequeno-almoço era espectacular, permitindo-nos ter energia para o dia quase todo. O buffet era tão variado que era difícil escolher o que comer, e podia sempre experimentar-se algo novo todos os dias. Para nós, a fruta deliciosa e os sumos naturais eram obrigatórios.

 

Kurumba Maldives

Ao jantar, o difícil era escolher. O Kurumba Maldives tem alguns dos melhores restaurantes do país. Ao todo, 8 restaurantes e 3 bares satisfazem todos os paladares, desde a cozinha internacional e europeia, até aos sabores do extremo oriente, passando pelo Médio Oriente e Índia. Na primeira noite, optámos pelo restaurante Isola, onde experimentámos vieiras, costeletinhas com queijo gorgonzola, risotto de gambas, e um leite creme de sobremesa, tudo acompanhado com um vinho sul-africano. Muito bom! A seguir, fomos dançar um pouco na praia, ao som das músicas brasileiras que passavam no bar.

No dia seguinte, o tempo já estava melhor. Fizemos snorkelling no recife em frente à “nossa” praia, e aproveitámos para ir ao centro de desportos aquáticos e ir buscar uma canoa para dar uma volta à ilha.

Kurumba Maldives

De tarde, descansámos um pouco, deitámo-nos na praia, e também fomos um pouco ao bar, descansar nas camas junto à água e beber um cocktail de maracujá.

Kurumba Maldives

Ao fim da tarde, tínhamos marcado um cruzeiro para observação de golfinhos e para ver o pôr-do-sol. Mas, infelizmente, o tempo voltou a pregar-nos partidas. O vento estava forte, o mar estava bastante agitado, e o cruzeiro foi cancelado.

À noite, escolhemos o restaurante Thila, onde experimentámos novamente as vieiras, massa com lagosta, carne de bisonte, peixe grelhado, e, de sobremesa, mousse de chocolate e um crocante de nougat e caramelo, tudo acompanhado de um bom vinho chileno. Depois de estarmos um pouco no bar, recolhemo-nos ao nosso quarto e ainda estivemos um pouco no alpendre, a absorver o ambiente calmo da noite. No dia seguinte, era tempo de partir, e já estávamos com saudades.

Kurumba Maldives Thila Restaurant

Kurumba Maldives

 

Como tivemos pouco tempo, acabamos por desfrutar pouco das variadas experiências disponíveis, desde o spa, com diferentes tratamentos e massagens, passando pelo ginásio e recintos desportivos, já para não falar nas diferentes e variadas excursões a lugares fora da ilha. Para as famílias com crianças, havia todo um conjunto de actividades diárias no Kids Club. Como é fácil de constatar, para quem fica mais tempo, há muito para fazer e experimentar.

Kurumba Maldives

No último dia, após um magnífico pequeno-almoço, voltámos a dar uma volta de canoa e a nadar um pouco naquela água maravilhosa, e estivemos na praia quase até à hora do check-out, que era ao meio-dia. O transporte estava marcado para as 12.30h, e foi com um sentimento já de nostalgia que abandonámos aquela ilha paradisíaca. O que é bom, acaba depressa, é costume dizer-se. E é verdade; o resort é maravilhoso, a praia lindíssima, a comida deliciosa, e tudo pareceu passar rapidamente. Ficar hospedados no Kurumba Maldives foi, para nós, uma experiência inesquecível, mas acabámos por ficar com um ligeiro amargo de boca, por o tempo não ter cooperado connosco. Se o sol tivesse brilhado mais, e o céu azul nos tivesse acompanhado sempre, sentimos que teríamos aproveitado mais. Fica, assim, uma excelente razão para voltarmos!

Kurumba Maldives

Rui Pinto

Físico de formação mas interessado em todos os aspectos da cultura e história da humanidade. As viagens são o meio privilegiado para um aprofundamento do conhecimento do mundo, das suas gentes e do nosso papel na vida.

More Posts - Facebook - Google Plus

Deixe uma resposta